Notícias

Clube Atlético Patrocinense e Cruzeiro Esporte Clube, depois de quase 25 anos novamente acontecerá no estádio Pedro Alves do Nascimento, jogo histórico para Patrocínio e região

Cruzeiro volta oficialmente  a Patrocínio depois de mais de 25 anos

imagem fundo ofecrecimento

 Estádio Pedro Alves Nascimento volta a ser palco de Patrocinense e Cruzeiro .

Foto: Alair Constantino | DonoDoApito

capxcruz-histo

A última vez que se enfrentaram foi no Mineirão, há quase 24 anos.(aqui no PAN) Foto: Reprodução|Diário da Tarde

Cruzeiro e Patrocinense voltam a se enfrentar pelo Campeonato Mineiro após quase 24 anos. A última partida aconteceu em 1994, no Mineirão e a Raposa venceu por 1 a 0, gol do Ronaldo Fenômeno. O time do interior mineiro jamais venceu o Cruzeiro em toda sua história. Foram nove jogos, sete vitórias e dois empates.

Na cidade de Patrocínio, aconteceram seis confrontos entre as agremiações, nos estádios Júlio Aguiar (5 jogos) e Pedro Alves Nascimento. O Cruzeiro venceu quatro deles e empatou dois, com 11 gols marcados e dois sofridos. Ainda em Patrocínio, pelo Campeonato Mineiro, foram três jogos, com uma vitória cinco estrelas e dois empates. O Cruzeiro marcou três gols e sofreu dois.

A única partida entre as duas equipes no estádio Pedro Alves Nascimento, o mesmo do próximo domingo, foi disputada em 1994, pelo Campeonato Mineiro, e terminou com vitória do Cruzeiro por 2 x 1.

Em 1994

presencaÚltimo jogo no Pedro Alves, dia 20 de março de 1994. Foto: reprodução Revista Presença

O CAP vive hoje situação similar, mas não idêntica de 1994. As chances de continuar vivo no campeonato são grandes, ao contrário do que aconteceu naquele ano.

No primeiro turno do Campeonato Mineiro de 1994, Atlético Patrocinense e Cruzeiro se enfrentaram oficialmente pela última vez em Patrocínio, no estádio Pedro Alves, no dia 20 de março. O CAP fez um bom jogo, mas perdeu por 2 a 1, gols de Cleisson e Paulo Roberto para o Cruzeiro e Agamenon para o CAP. Não foi possível superar a maior categoria e experiência do time do técnico Ênio Andrade.

O CAP jogo aquela partida com Aranha; Ronaldinho, Sica, Alexandre e Paulo César; Eurico, Mauro e Daniel; Fabiano(Maranhão), Agamenon e Marquinhos. O técnico era Wanderley Paiva.

O Cruzeiro teve; Dida; Paulo Roberto, Célio Lúcio, Luizinho e Nonato; Rogério Lage, Careca(Catê) e Luis Fernando(o melhor em campo); Valdir(Zelão), Cleisson e Roberto Gaúcho. O técnico foi Ênio Andrade,

O CAP estava ameaçado por quatro equipes e tinha que permanecer pelo menos na oitava posição para não cair para o Módulo II de 1995(situação parecida com a atual). E acabou acontecendo o pior: caiu. Brigavam pela vaga Alfenense, Valério, Villa Nova, Atlético de Três Corações, Uberlândia e Patrocinense. Com duas vitórias fora de casa, no returno, fizeram o time respirar um pouco, mas quando teve a chance de ficar tranquilo no jogo numa terça-feira, dia 12 de abril de 2004, perdeu um jogo fácil para o América Mineiro, no Pedro Alves, gol de Flávio.

Naquele jogo e naquela campanha, o goleiro Geraldo foi o responsável direto pelas derrotas, pois falhou no primeiro gol no primeiro gol e no segundo, – como Higuita da Colômbia – foi brincar, tentando fintar o centroavante, perdeu a bola para Afrânio e João Henrique foi obrigado a fazer pênalti. A Caldense venceu por 2 a 0. Naquela ocasião, o CAP tinha 10 pontos e precisava de sete ou oito para garantir a vaga na restante do campeonato mineiro.

Fez o último jogo primeira divisão de 1994, contra o mesmo Cruzeiro, deste domingo. O time perdeu por 1 a 0, gol de Ronaldo fenômeno, com mais de 30 mil pessoas no Mineirão.

O Cruzeiro tem um time de respeito. Foto: Divulgação|Cruzeiro

Hoje: O que pode acontecer. Na campanha deste ano, embora com história bastante parecida com a de 1994, o CAP pode ter melhor sorte. Se perder pelo mesmo placar daquele 21 de março de 1994, dificilmente estará rebaixado. Ainda mais que ou Caldense ou Uberlândia ou os dois, estarão rebaixados e tem atrás do Patrocinense URT, Villa Nova, Democrata GV, Caldense e Uberlândia.

Como Caldense e Uberlândia, um vai matar outro, se empatarem os dois rebaixam, o CAP terá que se preocupar com os outros jogos, a menos que empate ou vença o Cruzeiro. Se perder, terá que torcer para que aconteça um destes resultados: que o Tupi vença o Democrata GV em Juiz de Fora; ou a América vença o Villa Nova em Nova Lima; ou o Boa vença a URT em Patos de Minas, porque estes clubes têm o número de vitórias igual ao CAP, se vencerem, passam o CAP em número de pontos ou de vitórias.

Fonte do Cruzeiro| Angel Drumond

Por Luiz Antônio Costa

Deixe seu comentário