Notícias

Com Mineirão lotado, Cruzeiro se impõe, vence o Atlético-MG e é campeão do Mineiro

Em partida agitada, Otero é expulso, Arrascaeta e Thiago Neves marcam e dão o título Estadual para o clube celeste

Créditos: Foto Reprodução/Globo Minas.

RESUMÃO

O JOGO

O Cruzeiro se impôs no jogo, fez valer o mando de campo e marcou os dois gols necessários para ser campeão do Campeonato Mineiro pela 37ª vez na história. Balançou a rede logo aos três minutos do primeiro tempo, com Arrascaeta, e contou com a expulsão de Otero, aos 21, para crescer ainda mais na partida. Com um sistema defensivo sólido, Fábio quase não sofreu sustos. O gol do título saiu dos pés de Thiago Neves, no início da etapa final, após cruzamento de Robinho. A partir daí, foi segurar o resultado e esperar o apito do árbitro para erguer a taça.

PRIMEIRO TEMPO

Com os nervos à flor da pele, os jogadores de Cruzeiro e Atlético-MG fizeram um jogo tenso, pegado. Com a necessidade de inverter a vantagem aberta pelo Galo no jogo de ida (3 a 1), a Raposa foi para cima e abriu o placar logo aos três minutos, com Arrascaeta. Foi à base da pressão. Primeiro, o goleiro Victor fez grande defesa na finalização de primeira do meia. Na sobra, Edilson deixou Otero no chão e cruzou para o uruguaio mandar para a rede. A disputa ficou ainda mais intensa, com entradas duras e reclamações. O árbitro Luiz de Flávio de Oliveira teve dificuldade para conter os ânimos exaltados. Aos 21 minutos, Otero foi expulso, após cotovelada em Edílson. Com um a menos, o Atlético-MG melhorou a postura, mas não conseguiu chegar ao gol de empate.

SEGUNDO TEMPO

O Cruzeiro repetiu a dose. Marcou gol no primeiros minutos. Desta vez, aproveitando da bobeada de Fábio Santos na saída de bola. O lateral tentou driblar Arrascaeta e perdeu a bola. Robinho avançou pela direita e cruzou para Thiago Neves fazer 2 a 0. Com o placar desejado e frente a um adversário com inferioridade numérica, o Cruzeiro recuou. O clássico ganhou em tensão. O Galo foi para o tudo ou nada, com as entradas de Gustavo Blanco, Erik e Róger Guedes. Mas o Atlético-MG não teve forças para furar a defesa celeste. Já nos acréscimos, o lateral Patric foi expulso, deixando o Galo com nove em campo.

CARRASCAETA

Mais uma vez, Arrascaeta ajudou a decidir um clássico com a camisa do Cruzeiro. Com o gol de hoje, ele chega a seis gols marcados e três assistências diante do Atlético-MG.

EXPULSÃO

Otero, uma das principais peças do Atlético-MG na temporada, ficou pouco tempo em campo. O meia foi expulso aos 21 minutos, em disputa com Edílson. O cruzeirense deixou o pé levantado e o atleticano deu uma cotovelada. Luiz de Flávio de Oliveira expulsou o venezuelano. Uma longa discussão se iniciou em campo. No final, o árbitro deu apenas cartão amarelo para Edílson. Ao fim da partida, Patric, que recebeu dois cartões amarelos, também foi expulso.

FIM DO JEJUM

O Cruzeiro conseguiu o que precisava para voltar a ser campeão após três edições de Campeonato Mineiro: vencer o Atlético-MG por dois gols de diferença. Com um tento no início de cada tempo, a equipe triunfou por 2 a 0, no Mineirão, e levantou seu 37º troféu de campeão mineiro e findou um jejum de três anos sem o título do Estadual. A última vez havia sido em 2014.

NO CALOR DA TORCIDA

A delegação do Cruzeiro chegou ao Mineirão 1h15 antes do segundo e decisivo jogo da final do Campeonato Mineiro. O ônibus que levou a delegação neste domingo parou do lado de fora do estádio para que jogadores e integrantes da comissão técnica pudessem passar bem perto da torcida e receber uma energia a mais antes do clássico. O mais empolgado foi o técnico Mano Menezes, que cumprimentou vários jogadores “a la NBA”, batendo na mão de vários cruzeirenses que esticaram os braços.

PÚBLICO E RENDA

Público Presente: 49.906
Público Pagante: 44.253
Renda: R$ 1.590.673,00

Fonte: http://globoesporte.globo.com/mg/futebol/campeonato-mineiro/

Deixe seu comentário